Seleções
Uruguai

Copa América partidas - GRUPO B
Dia Cidade Estádio Hora Partida
Quarta-feira, 7/7 Chiclayo Elias Aguirre 17:30 Uruguay vs. México
Sábado, 10/7 Chiclayo Elias Aguirre 17:30 Uruguai vs. Equador
Terça-feira, 13/7 Piura Miguel Grau 19:45 Uruguai vs. Argentina

Introdução


Hora del descubrimiento
por Jorge Savia, jornalista do El País, de Montevidéu (URU)

De certa forma, pode-se dizer que o Uruguai vai estrear um novo técnico, na Copa América; pois, como disse muito bem o próprio Jorge Fossati, que acaba de substituir Juan Ramón Carrasco - como conseqüência direta da derrota histórica que sofreu a equipe celeste no próprio Estádio Centenário, no 31 de março último, contra a Venezuela - sua verdadeira estréia como treinador da seleção será nos compromissos diante do Peru e Colômbia, numa situação de "emergência".

Muito bem, de acordo com as expectativas criadas neste tipo de circunstâncias, não temos certeza do que possa acontecer com o Uruguai, já que nem mesmo o treinador sabe com quem poderá ou não contar para a competição.

Isto é, Fossati parece bastante ciente de que, desde o princípio de seu trabalho no futebol uruguaio, o nível da seleção caiu nos últimos anos; e o mais grave é que, desde maio, os jogadores estão terminando longas e desgastantes temporadas em clubes europeus.

Disse que, com exceção das eliminatórias, não sacrificará jogadores considerados os melhores, que exercem liderança ou que carregam o time nas costas, devido ao estresse físico e mental destes atletas que , no mínimo, jogaram 50 ou 60 partidas nos últimos 12 meses.

Feito este diagnóstico, fica claro que Fossati não jogará a Copa América com Alvaro Recoba, do Inter de Milão; Pablo García, do Osasuna, da Espanha; Richard Núñez, que joga no Grasshoppers da Suíça; Walter Pandiani, do Deportivo La Coruña; Gianni Guigou, do Siena da Itália; ou Javier Ernesto Chevantón, uma das revelações na última temporada do futebol italiano ao ser o artilheiro do modesto Lecce.

Com esses desfalques ou antecedentes podemos afirmar, então, sem nenhum medo de errar , que a seleção que representarará o Uruguai na Copa América é uma incógnita. Sem dúvida nenhuma, com bons ou maus resultados, sua integração e rendimento se transformarão numa "descoberta" para todos, do técnico ao público em geral.

Cuidado, nada do anterior leva a afirmar que a Celeste jogará a Copa América como um time de segundo escalão, porque são tantos os jogadores que o Uruguai têm atuando no exterior, que nos leva a crer que a maioria dos titulares serão, pelo menos, jogadores de primeiro nível, já que estão atuando em equipes estrangeiras. Certamente, jogará Fabián Carini, no gol, por exemplo, e Diego Forlán, no ataque.

Mas, definitivamente, nem com figuras de renome, a participação no torneio do Peru deixará de ser um banco de provas; não só para a Celeste, mas fundamentalmente para um técnico que, após ter passado pelos primeiros compromissos ante Peru e Colômbia e pelas Eliminatórias, tentará armar um time novo, a seu jeito, de acordo com suas idéias futebolísticas e com o propósito definido de que seu estilo de jogo marque a chegada de um novo projeto. A tática que propõem Fossati - com um definido 3-4-1-2 como sistema quase permanente, preferindo um bom toque de bola em todos os setores do campo - não é tão ofensiva quanto a que tentou impor Carrasco que, apesar de ter conseguido alguns resultados positivos, por outro lado, foi um fracasso diante de Paraguai e Venezuela, ao levar 7 gols em 2 confrontos. Contudo, ainda está longe de ser uma reencarnação do padrão tradicional defensivo que costumava ser a marca registrada do glorioso futebol uruguaio durante o século XX.

Isto é outra coisa. Nem antiga, nem ultra-moderna. O Uruguai de Fossati dá início, simplesmente, a uma nova era. A Copa América é sua plataforma de lançamento. De lá, o que aconteça será toda uma descoberta.


Informações do país
Nome Oficial República Oriental do Uruguai (República Oriental del Uruguay)
Capital Montevidéu
Maiores cidades Salto, Paysandú, Las Piedras, Maldonado
Presidente Jorge Battle (desde 2000)
População 3 413 329 (julho/2003) - (12º)*
Mortalidade infantil 13,1/1.000 (3º)*
Expectativa de vida 75.87 anos (3º)*
Analfabetismo 2,4% (1º)*
Área 176 215 km2 (11º)*
Países vizinhos Brasil e Argentina
Idioma Espanhol
Moeda Peso uruguaio (UYP).
Cotação para o dólar: 1 US$ = 30,75
PIB US$ 18 666 milhões (2002) - (8º)*
Renda per capita 5 710 (em dólares) - (2º)*
Internet 600 mil usuários (8º)*
Código uy
Hora -3 GMT