COM AS CRIANÇAS É QUE SE GANHA! COPA AMERICA DEDICADA ÀS CRIANÇAS DO PERU

Lima, 22 de Junho de 2004.- A poucos dias do inicio da Copa América 2004, os organizadores, patrocinadores oficiais e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) anunciaram conjuntamente que os meninos e meninas do Peru serão os grandes beneficiados neste evento esportivo.

Com a campanha ¡Con los niños sí se gana! (É com as crianças que se ganha), a UNICEF e a Confederação Sul-americana de Futebol (CONMEBOL) decidiram dedicar o evento aos meninos e meninas do país anfitrião, o Peru, com uma série de atividades que buscam resgatar o bom futebol desde a infância

Várias atividades estão planejadas para as 18 jornadas (num total de 26 jogos, em 6 cidades do Peru) para dar vida a campanha "¡Con los niños sí se gana!" Arturo Woodman, presidente do Comitê Organizador da Copa América 2004 anunciou que coordenou com o presidente do Peru, Alejandro Toledo, a presença de mais de 12.000 meninos e meninas nos estádios. "Será maravilhoso dar a oportunidade para que eles possam assistir as partidas ao vivo. São milhares de meninos e meninas do Peru que em outras circunstâncias nunca teriam a oportunidade de assistir tais partidas", disse Woodman.

Durante a cerimônia de inauguração da Copa América 2004 as crianças do Peru terão reservado um espaço privilegiado. "Será o início de uma série de atividades que incluem uma estratégia de comunicação social junto aos torcedores dentro e fora dos estádios para colocar a criançada peruana em contato direto com o futebol", detalhou Andrés Franco, representante da UNICEF no Peru. "Com estas atividades poderemos promover os direitos das crianças, e as mães de todo o mundo irão testemunhar o quanto apaixonante é o futebol que já começa com suas próprias crianças desde seus primeiros chutes no ventre materno".


Para ser grandes comecemos desde pequenos

A UNICEF exibiu o novo desenho de um babador de bebê. Ele está cruzado com uma faixa vermelha semelhante à camiseta da seleção do Peru. "Para ser grande, comecemos desde pequenos" diz a frase que acompanha o babador que foi elogiado pelos patrocinadores oficiais da Copa América. "Creio que a mensagem dada pela UNICEF é clara: se desejamos ser grandes no futebol, temos que começar com as crianças", expressou o presidente do Comitê Organizador do torneio Sul-americano.

Os organizadores oficiais da Copa América 2004 acolheram com entusiasmo a proposta da Confederação Sul-americana de Futebol (CONMEBOL) e UNICEF. Pepsi, LG Electronics, Master Card e Petrobrás planejaram atividades que buscam contribuir para enviar a mensagem principal da campanha "¡Con los niños sí se gana!" aos milhares de fanáticos aos quais alcançam com suas campanhas publicitárias. Estas atividades incluirão eventos com jornalistas, nos estádios e em algumas promoções já planejadas para o evento esportivo.

"Todos os patrocinadores se comprometeram a esforçar-se para difundir a campanha com mensagens chaves que ressaltarão a importância da criançada entre seu nascimento e os 3 anos de idade. Não esquecendo também, a necessidade de investir nelas com a finalidade de que o país alcance as mais altas metas tanto no futebol quanto em qualquer outra atividade humana", foram as palavras utilizadas por Andrés Franco para descrever suas negociações com os patrocinadores da Copa América 2004.

Dois embaixadores da boa vontade UNICEF quiseram somar-se à campanha da UNICEF na Copa América 2004. O ex-astro do futebol europeu, o liberiano George Weah e o famoso ator Roger Moore, ex agente 007, ofereceram imagens em que participam com mensagens que serão divulgadas na América Latina. "A partida começa desde o primeiro chute; no ventre materno é que se dá o pitaco inicial" dizem os embaixadores da UNICEF.

Diversas atividades para que as crianças estejam no coração da Copa América 2004

A UNICEF planejou "work shops" de preparação em crescimento e desenvolvimento precoce para os jornalistas esportivos peruanos; artigos de opinião com as análises das jornadas futebolísticas que serão divulgadas pelos jornais de maior circulação do Peru; Uma "Copinha América", que será um mini torneio de futebol com adolescentes de zonas marginais de Lima que se unam a campanha "¡Con los niños sí se gana!"; exibições especiais para as famílias peruanas com Elmo e Ernie, personagens da Vila Sésamo; mensagens nas telas dos estádios, por áudio, entre outras.

Ao terminar a Copa América será realizado um "work shop" de alto nível com a presença de Carol Bellamy, diretora executiva da UNICEF, para fomentar a inversão na primeira infância como a única maneira de melhorar o futebol e os cidadãos. Um jogador de 90 minutos é desenvolvido no ventre de uma mãe sã, se nutre em uma família carinhosa e floresce num país com prioridades claras e visão em longo prazo.

Carol Bellamy lembrou dos anúncios feitos em Lima e afirmou que "A Copa América nos mostra as oportunidades que o futebol oferece para o cumprimento dos objetivos da Convenção dos Direitos da criança e as metas do milênio relacionadas à infância". Também anunciou que planeja estar presente durante a final que será jogada em Lima dia 25 de Julho onde espera aprofundar ainda mais as alianças da UNICEF com a FIFA e a CONMEBOL respectivamente. Para a final é esperada a presença do presidente da FIFA Joseph Blatter e o presidente da CONMEBOL, Nicolas Leoz.


Contacts:

UNICEF, Sandra Arzubiaga 213-0715, sarzubiaga@unicef.org

Copa América, Rocío Oyanguren 51 1 442-8900, royanguren@copamericaperu.org.pe